Forough Farrokhzad

O VENTO LEVAR-NOS-Á

Na minha noite, infelizmente tão curta
o vento está prestes a encontrar-se com as folhas das árvores
na minha noite, tão breve, e plena de uma angústia devastadora
ouve
ouves o sussurro das sombras?
esta felicidade é-me desconhecida
estou habituada ao desespero

Ouves o sussurro das sombras?
ali, na noite, algo acontece
a lua é vermelha e ansiosa
e sobre este telhado
que a qualquer momento pode ruir
as nuvens, qual procissão de carpideiras
aguardam o nascimento da chuva.
um segundo
depois nada
atrás desta janela a noite treme
e a terra pára de girar
atrás desta janela
qualquer coisa desconhecida inquieta-se comigo e contigo

Tu, verde dos pés à cabeça
coloca as tuas mãos, essas memórias escaldantes,
nas minhas mãos amorosas
entrega os teus lábios ao toque
dos meus lábios amorosos
repletos do calor da vida
o vento levar-nos-á
o vento levar-nos-á.

Forough Farrokhzad – Versão de Vasco Gato
(poema este que Abbas Kiarostami baseou-se para fazer o seu O Vento nos Levará)
Forough FarrokhzadForough Farrokhzad é uma poeta iraniana que viveu em meados do século XX e que morreu inadvertidamente jovem como boa parte dos grandes poetas. Quatro anos antes de sua morte, ela contribui também para a cinematografia com um dos melhores e mais viscerais documentários que já tive o prazer de assistir: Khaneh siah ast (The House is Black – 1963), sobre uma colônia de leprosos e único filme que fez. Provavelmente a influência para percorrer o universo das imagens em movimento veio do seu então amante, o cineasta Ebrahim Golestan. E sim, ela é uma das mulheres mais fantásticas do século XX.

ROSA VERMELHA

Rosa vermelha
Rosa vermelha
Rosa vermelha

Ele levou-me ao jardim da rosa vermelha
E atou uma rosa vermelha às minhas madeixas trémulas na escuridão
E por fim
Adormeceu comigo sobre a pétala duma rosa vermelha

Ó pombos sem destino
Árvores inexperientes ingénuas, ó janelas cegas,
Debaixo do meu coração e no fundo das minhas costas, agora
Cresce uma rosa vermelha
Vermelha
Como uma bandeira
Na ascensão

Ah, estou grávida, grávida, grávida

Forugh Farrokhzad – Tradução de Mohsen Rostami.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: