300 machos semi-nus e suados

300 - Gerard ButlerÉ claro que depois de passar 3 horas num posto da polícia militar com formigas a ferroar-me a bunda, eu ia achar 300 um paraíso, não? E olha que constatei durante minha estadia em local tão pitoresco que homens definitivamente ficam melhor de uniforme da polícia do que as mulheres, os glúteos masculinos ficam melhor naquele uniforme do que os femininos.
Mas voltando à festa da toga vermelha… (juro que meu sonho de consumo atual é uma festa da toga vermelha cheia de espartanos e eu podendo dar meus berros característicos sem que ninguém fique com cara de cu, liberdade de expressão é uma coisa tãããão dificil) O bagulho é uma das coisas mais visualmente acachapantes que vi no cinema nos últimos anos, tem momentos que vão além do Frank Miller, parece que você está vendo uma mistura de Delacroix, Rubens e Goya, a impressão de um quadro em movimento pintado à mão, só que com muito mais perfeição do que fora a animação quando ainda utilizava desses recursos, além das combinações de cores que tenho no gosto pessoal como as mais perfeitas que existem.
E aquele bafafá político envolvendo o filme? Confesso que qualquer coisa estava sendo totalmente sublimado por mim, até a sequência final, o discurdo proferido pelo David Wenham (matando a saudade de cortar umas cabeças da época em que era o Faramir do Senhor dos Anéis), foi aí que entendi o porquê das santas do oriente médio estarem tremilicando. Há leves modificações quanto ao texto que está na HQ, mas mesmo que fosse igual, o impacto do cinema dá uma conotação totalmente distinta de você estar lendo um quadrinho, foi isso que senti, na HQ isso passou desapercebido por mim, mas como o cinema é histórico nas suas mensagens em filmes de guerra sobre atualidades, mesmo o Znyder não querendo dar essa conotação política e ser o mais fiel possível à HQ, acaba se tornando uma geração espontânea dessa veia política dentro do consenso geral, virou mesmo senso comum arraigado à nossa cultura.
Mas quer saber? Não tô nem aí pra isso não. Mas de qualquer forma quem se importa se o filme é bom ou ruim? Tem um monte de machos seminus e suados cortando umas cabeças com espadas, para quê mais? Até eu saí do cinema querendo ser espartana para dar a luz a homens de verdade (mesmo sabendo que um filho meu acabaria virando um Xerxes da vida). PUTA QUE PARIU! Eu achando que o Átila e o Beowulf do Gerard Butler eram a última bolacha do pacote na mão de um somali faminto… Herói grego uma pinóia, é deus grego mesmo. O duro é tentar ver o filme e ficar fria diante daquela aparição. Cruzes. Constatação final: VIVA O LOMBO DO GERARD BUTLER!!! VIVA!!! Eu sou vegetariana, mas nem tanto.

Nota: Eu sei, nada do que está escrito acima faz o menor sentido (apesar de não ter lido, eu sei que não faz), hoje não tomei o meu remédio e creio que agora sou oficialmente uma viciada em barbitúricos.

Advertisements

One thought on “300 machos semi-nus e suados

  1. HAHAHAHAHAHA!!

    To rolando de rir com seus posts.

    E concordo: o lombo do Gerard Butler é de matar qualquer um de tesão.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: