Galante e Sanguinário (3:10 to Yuma, 1957)

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.Glenn Ford e Felicia Farr num dos mais belos momentos do cinema.

Publicado por Adriana Scarpin

Bibliófila, ailurófila, cinéfila e anarcafeminista. Really. Podem me encontrar também aqui: https://linktr.ee/adrianascarpin

5 comentários em “Galante e Sanguinário (3:10 to Yuma, 1957)

  1. Amanda, nunca entendo direito quando alguém diz que “viajou”, se é de forma literal ou uma metáfora. hehehe

    Ed, cara! Nunca dei muita bola para o Glenn Ford, mas neste filme ele está completamente FODA, aliás, o filme todo é completamente foda, uma obra prima total. Mas o Ford consegue superar tudo, supostamente ele tem o papel do vilão, mas na verdade ele não é um vilão, se Van Heflin é o mocinho, Ford seria mais como um anti-herói do que um vilão, mais ou menos como o Jason Robards em Era Uma Vez no Oeste. Nos anos 50 os westerns ainda estavam engatinhando na perda desse dualismo entre o bom ou mau absoluto e este filme é um verdadeiro marco não só nesse sentido, mas como obra de arte absoluta. Os 5 minutos finais são inacreditáveis em tensão, tem gente que ama esse final, tem gente que odeia, eu particularmente sou das que amam fervorosamente e não há como deixar de escapar uma lágrima, pois é algo realmente lindo.
    Não vi o remake, dizem que é muito bom, mas me custa a cogitar que ele consiga lamber as botas dessa obra prima que pode facilmente entrar em qualquer lista dos melhores westerns de todos os tempos.

    Curtir

  2. Preciso ver. A refilmagem também, mesmo que não seja tão boa assim. E o número de westerns tem aumentado de um tempo pra cá ou é impressão minha?

    Curtir

  3. Não sei se tem aumentado em número, mas em qualidade certamente. O bacana é que tem saído muitos westerns que não se passam apenas no velho oeste, mas na época contemporânea também. Fico tão feliz com isso e mais bacana ainda é o fato de dois dos grandes renovadores do gênero vieram da Oceania, o Hillcott de A Proposta e o Dominik do Jesse James, acho que ficar olhando muito para o deserto australiano deve ser inspirador.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: