Morre Charlton Heston

2392693483 C774445e11 O

Stephen Boyd e Charlton Heston em Ben-Hur, num dos maiores momentos homoeróticos do cinema (sem que Heston soubesse, é claro)

É triste constatar que a última memorável “participação” no cinema de Heston foi ser humilhado por Michael Moore em Tiros em Columbine. Gostando ou não de Heston como figura pública ou até mesmo duvidando das suas qualidades reais como ator para além do “tipo” que marcou muitas das estrelas de Hollywood dos tempos áureos (o que é mais do que se pode dizer das estrelinhas atuais), o homem é uma lenda e fez grandes filmes que figuram nas listas de muita gente, inclusive da minha.
Como esquecer daquele bigodinho indecente de A Marca da Maldade de Orson Welles? Ou do protagonista de um dos primeiros filmes do mestre Sam Peckinpah, Major Dundee? Das ficções científicas cultuadas como a obra prima Planeta dos Macacos de Franklin Schaffner, No Mundo de 2020 de Richard Fleischer ou em Última Esperança sobre a Terra (embora ainda prefira a versão com o Vincent Price)? Esquecê-lo entrando no mundo picaresco do auteur Richard Lester como Cardinal Richelieu nos filmes sobre os mosqueteiros? Jamais! E, claro, os épicos religiosos que o fizeram tão famoso como Ben-Hur de William Wyler (embora ainda prefira a versão muda de Fred Niblo com Ramon Novarro) e os Dez Mandamentos, remake que Cecil DeMille fez de seu próprio filme.
As obras cinematográficas de alta qualidade em que Charlton Heston esteve presente foram muitas e fará com que jamais deixe de ser lembrado, com que jamais qualquer decisão pessoal de sua vida seja equiparável às obras as quais tomou parte.

Advertisements

13 thoughts on “Morre Charlton Heston

  1. Sem dúvida é um dos grandes símbolos do cinema americana, vá lá, mundial.

    Pra mim foi um dos bons atores do tipo “homão”, com aquelas famosas rugas de expressão, a lá Mcqueen ou Bogart.

    PS: só não pus um famoso olá, ou um famoso abs porque ainda a coisa começa a ficar esquizofrênica . :D !

  2. Faz muito sentido essas alusões, Heston seria o “muito macho bonzinho”, Bogart seria o “muito macho filho da puta cínico” e o McQueen o “muito macho não-estou-nem-aí-pra-nada”. Mas sabe como é, sou muito mais Bogart e McQueen… Hoje mesmo estava discutindo com uma amiga porque sempre gostamos mais dos anti-heróis e a conclusão foi complexa demais.

  3. dri, quando vi a ausência da caixa de comentários lá no outro blog, eu achei que você já tivesse enjoado da gente, e me lembrei dessa comunidade http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=8675145 do orkut.
    o meu blog já deve ser o quinto, mas como resolvi deixar apenas um post indefinidamente, eu espero que seja o último. agora vou me contentar apenas em ler aqueles que gosto.

    ps. eu sei que esse negócio de blog ainda é algo amador e que você provavelmente não concordaria com isso, mas pela qualidade das coisas que escreve você bem que merecia ganhar uma graninha com isso, não?

  4. Então… um dos sintomas do meu TPB é a manipulação… Não tem nada a ver com Maquiavel, é uma predisposição física mesmo… Eu tenho atestado clínico para ser manipuladora! hehehe

    Dinheiro nada, quero viver de amor! É incrível como você sempre acerta nas sugestões, são sempre o exato oposto do que sou… hehehe

    Deus, como amo o wordpress, dá para colocar link nos comentários!

  5. Oi Dri.

    Ainda bem que temos o Clint “o macho certo pra hora certa” em plena atividade.

    Não sei se você está sabendo(tenho quase certeza que sim!) que o Velho Cilnt voltará a o senhor Harry Callahan, com texto e direção de do próprio.

    Tenho até dó daqueles que cruzarem seu caminho :D!

    abs

  6. Saudaçãoes à nova casa!
    só uma coisa, o Charlton não morreu porque ele não era humano! heheh

  7. Já sei qual vai ser sua resposta, mas vá lá:

    Posso te passar a senha do blog pra postar alguma coisa lá? Qualquer pensamento aleatório que tiver, referências, ensaios, links, etc. To pra escrever sobre O Iluminado e Barry Lyndon, mas esperando pra me organizar melhor antes de fazer isso (se eu passar cinco anos pra postar, vou saber que estou realmente sendo influenciado pelos filmes dele, não necessariamente da melhor forma possível).
    Sei que vai dizer “pode passar, mas não garanto nada”, mas essa é sua resposta automática, pense em alguma melhor.

  8. Ah Léo… Clint é o amor de minha vida… Quase todo dia me pego a pensar: E se se o Clint morrer, o que faço? hehehe Num primeiro momento a gente pensa Putz! ele devia deixar o Dirty Harry quieto, embora anda todo mundo a ressuscitar (Rock Balboa, John Rambo, Indiana Jones)Mas aí você lembra de Os Imperdoáveis em que ele fez um anti-western, ele simplesmente exorcizou toda a carreira dele como cowboy, fez uma coisa completamente iconoclastra com ele próprio e deu naquela obra prima. Nisso me pergunto se esse ressuscitar de Dirty Harry não vai seguir caminho parecido, de colocar aquele ícone fodão de uma forma madura e humanizada, de destruir completamente aquela imagem. Nossa, dá até arrepio de pensar no que vai ser isso. E olha a coincidência de você ter tocado nesse assunto, entrei aqui para postar a entrevista do Clint no Actors Studio

    Rick, estreou o blog novo! E com Javier no meio de Scarlett e Penélope? Aff, isso é demais para qualquer ser humano… hehehe
    Quanto à humanidade de Mr Heston, espero que você esteja falando sobre ele ser um deus, ou fazendo aluzão à alguma das suas personagens e não à maquinaria superficial e manipuladora de Michael Moore.

    Lucas, kkkkk, meu é verdade! E outra, não consigo funcionar assim, neguinho tem que dar a bola para eu rebater, aquele lance de argumentação e contra-argumentação, acho que fui influenciada demais por uma professora de teoria literária que tive, a desgraçada não dava aula, deixava os alunos falando e só depois ela falava em cima de todas as considerações.
    É, tenho entrado regularmente lá para ver se escreveste algo que eu possa eventualmente rebater…

  9. oi Dri.

    Mas acho que esse ressuscitar viaiser bem diferente do Rambo e afins( apesar que esse terono do indi vai ser bem bom) .

    Primeiro, o Clint tem hoje uma grande liberdade, ou melhor, independência artística, mesmo dentro da grande estrutura de Hollywood.

    Segundo, ele já trabalhou os temas da masculinidade, velhice e violência muito bem em seus filmes. E´quase um lapidar para retornar ao grande personagem da sua carreira, quer a gente queira, quer não!

    Acho sim que ele vai fazer um senhor filme!!!

    abs

    E como você disse, se nos Imperdoáveis ele ajá conseguiu tudo aquilo, imagina agora que ele tem(acho) independencia para trabalhar o velho Harry.

  10. Não só eu ,mas n pessoas consideram Charlton Heston o ator dos atores….
    Qto a BEN HUR é uma obra prima e tudo feito a muc,ou seja, sem a grandes tecnologias q temos hoje,mas se hoje fosse feito um remake não teria o mesmo sucesso do passado e nem com os atores de hoje!!
    Os atores do passado marcaram ou melhor continuam tendo a sua marca registrada e respeitada até nos dias de hoje…

  11. MODERADOR!!
    Não consegui achar outra forma de contato,mas vamos lá:o que aconteceu com a belíssima atriz HAYA HARAREET e que hoje nem tanto pelos seus 78 anos ..sabe lá..
    que nos anos 60 teve carreira curta e aonde ela estará e se tiver as fotos recentes…tem como postar um link e comentários sobre ela?
    Não dá p/ entender que além de ter participado do filme Ben Hur a carreira dela foi minguando…do elenco todo parece q só ela é q

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: