Os Gangsta e a cultura blaxploitation

SuperFly (1972)Superfly
O maior exemplo de filme blaxploitation inspirado nos “gangsta” do Harlem é a obra prima SuperFly do Gordon Jr, só não digo que é a maior obra prima do gênero blaxploitation porque Juninho tem que dividir as honras com papai Parks e seu Shaft, com o colega branquelo Jack Hill e os filmes com sua musa-mor Pam Grier, além da doçura Peebleana de Sweetback. Apesar de SuperFly ser uma grande miscelânia dos reis da droga do Harlem, acho que a mais notória influência na concepção de Priest foi mesmo aos moldes de Nick Barnes, do vestuário ao bigodão que usou durante uma época soa como Leroy, enquanto o grande golpe da “puríssima” soe totalmente como Frank Lucas e o fator-risco que há em comum entre tudo e todos: a polícia corrupta. Mais importante do que ter recebido a influência dos gangsta foi o quanto o próprio filme influenciou os mesmos, a onda do “pimpmóvel” começou com esse filme (no caso, o cadillac pertencente a um real cafetão que participa do filme) e a partir daí todo traficante e cafetão tinha que ter um carro característico para fazer a galera babar. across 110th streetVais me dizer que ao passar na rua um Landau roxo com capota de vinil branco não começas a babar?

A Máfia Nunca Perdoa (Across 110th Street, 1972)
Mais uma versão não-oficial de Rififi de Jules Dassin agora transformado em blaxploitation. Suas referências não soam tão óbvias quanto Superfly, mas a tensão sanguinária entre a máfia italiana e a do Harlem está toda lá exatamente como ocorria naquele início dos 70 em Nova York. E claro, tudo que acontecia era passando pela rua 110ª, a real linha divisória entre os branquelos almofadinhas e a galera do Harlem. Ó céus, por que não fazem mais filmes policiais como esse?

Shaft (1971)
Se Parks Jr presta “homenagem” aos herdeiros de Bumpy Johnson, Frank Lucas e Nick Barnes, Parks Sr exala seus préstimos ao próprio Bumpy cujo antagonista homônimo se apresenta em Shaft.

Rififi no Harlem (Cotton Comes to Harlem, 1970)
Aparentemente este é daqueles filmes que nada têm a ver com os druglords, primeiro por ser uma versão pastelão do que viria a ser Across 110th Street (o que explica o indecente título nacional fazendo alusão à Rififi), segundo porque as referências são tão mais camufladas e sustis. Constatação inegável pós-filme: The Blues Brothers de John Landis teve aqui clara influência e finalmente sabemos o porquê Ossie Davis é ídolo de Spike Lee.

coonskinThe Mack (1973)
Sim sim Richard Pryor começou com o blaxploitation, outro que foi bastante visto por essas bandas ao lado de Pryor foi o antigo dono da Millenium Falcon que a perdeu para um tal de Han Solo e foi ser cafetão num seriado dentro de um seriado sobre um povo perdido numa ilha. Divagações à parte, pouco há realmente em comum entre este filme e os reais druglords do Harlem, mas o tráfico, prostituição e policiais corruptos são os motes.

Coonskin / Street Fighter (1975)
Esse é daqueles filmes que merecem ser citados em qualquer lista de filmes mais emblemáticos dos anos 70, o que Ralph Bakshi fez com esse filme em tempos de Panteras Negras é assustador. Os pimps, junkies e druglords estão todos lá.

O Chefão de Nova York (Black Caesar, 1973) / Inferno No Harlem (Hell Up in Harlem, 1973)
Talvez a primeira real obra prima de Larry Cohen, Fred Williamson fervilha no papel principal ao lado de Gloria Hendry. Como o título original deixa claro, esta é uma versão black de Alma no Lodo (Little Caesar, 1931) e obviamente muito tem em comum com a realidade do Harlem em fins de 60, início dos 70, especialmente a respeito da relação de Frank Lucas com os italianos.

Jim Croce – Bad, Bad Leroy Brown
Por fim, a música em que rezava a lenda ser uma citação ao Leroy “Nick” Barnes, versão esta que veio a ser refutada por Jim Croce clamando que a música se referia a outro amigo.Nota: É óbvio que vou me ater aos anos 70, se for ter que citar cada maldito filme que faz referência aos reis do Harlem (incluso Bumpy Johnson) dos anos 80 até os dias de hoje ficaria aqui até o próximo milênio… os irmãos Hughes, Spike Lee, Peebles Filho… etc etc além da galera do hip hop e afins, até filmes da própria década de 70 que me sejam desconhecidos ou que simplesmente deixei passar.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: