Cadáveres Ilustres (Cadaveri Eccellenti, 1976)

Cadaveri eccellenti (1976)Ou: A verdade nem sempre é revolucionária e é tudo culpa do Voltaire. Ainda bem.

Quase nos mesmos moldes de A Conversação datado de dois anos antes e como não poderia deixar de ser vindo do duo Francesco Rosi/Tonino Guerra, Cadaveri Eccellenti é um poliziesco político que atira para todos os lados e que toma assento durante o caos aflorado na Itália em meados dos anos 70 e que viria mais tarde culminar no caso Aldo Moro.
O filme mostra bem o clima de insanidade sócio-política que o país vivia naqueles idos, a partir de um suposto caso de vingança pessoal, somos levados a entrar numa narrativa que privilegia as amostras do caos estudantil, mafioso, policial, político e jornalístico, onde a única personagem a aparentemente enxergar as coisas claras e como verdadeiramente são é a vivida por Lino Ventura, um oásis de sensatez no meio daquela paranóia, manipulação e conflito a explodir por todo lado, ao evoluir de uma investigação corriqueira onde o investigador se mostra a peça central de sua própria investigação desenbocada em intrigas.
Menções especiais às participações de Tina Aumont mais linda do que nunca interpretando uma prostituta e ao discurso nem tão indelével de Max Von Sydow sobre como Voltaire começou toda aquela balbúrdia.
Esse filmaço me fez lembrar de pequenas verdades entranhadas em meu ser: não há nada como o cinema italiano e tal nacionalidade se converteu no tipo de cinema que mais me apetece, suas comédias são as melhores, seu cinema de horror, seus westerns e seu cinema político também, voltar ao cinema italiano, em especial o dos anos 60 e 70, é uma volta ao prazer da arte que há muito me escapava.Illustrious CorpsesNota: Tenho a ligeira impressão que envenenaram aquele gato de verdade. Ninguém é tão bom ator.

Advertisements

4 thoughts on “Cadáveres Ilustres (Cadaveri Eccellenti, 1976)

  1. Cheguei aqui procurando por Hal Ashby.
    Gostei do site, tem boas coisas de cinema.
    Vou acrescentar no favoritos ;)

  2. mudando de assunto para um cinema italiano mais contemporâneo, eu tô louco pra assistir gomorra. pelo que eu li, deve ser muito bom.

    ps. acabei aquele roteiro de exorcismo. quando der uma ajeitada no ingrêis eu te mando uma cópia.

  3. Eu vi o Gomorra na época da mostra ano passado, é bom mesmo. Me fez lembrar esse cinema político dos 70, ao menos na teoria e no engajamento, pois ao contrário desse cinema estilizado do Elio Petri e Francesco Rosi a grande sacada de Gomorra é o tom meio Dogma 95, é a ausência, a despretensão estética, o que torna o lance quase documental e corrosivo, tirando aquela quarta parede que o cinema político estilizado nos traz.
    E outra, tem uma cena alí que vai me acompanhar para o resto da vida, dois guris já encaminhados dentro da Máfia brincando de Scarface (o do Al Pacino), eles ainda tem a idade de brincar, mas já fazem parte daquele mundo.

  4. Olá! gostaria de saber onde eu acho este filme?
    Eu procurando-o há alguns anos.
    Faltam poucos p/ completar minha lista de filmes memoráveis.
    Se alguém souber onde acho, é só avisar aqui.
    abraços
    ÐS

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: