Os Filmes Bacanas de Cada Ano que o Cinema Viveu: 1974

1- Uma Mulher Sob Influência (A Woman Under the Influence, John Cassavetes)A Woman Under the Influence Os filmes do Cassavetes sempre tiveram um peso realmente significativo em mim, mas nenhum como este. Cassavetes e Rowlands foram o exemplo mais perfeito de casal que se completava na vida e na arte. Assistir aos filmes do Cassavetes nos faz imaginar se ele seria o grande cineasta que se tornou se não tivesse casado com Rowlands e esta seria a grande atriz que é se não tivesse conhecido Cassavetes. Este é o grande trabalho de ambos e também o do amigo inseparável Peter Falk, tanto em conjunto quanto individualmente.

2- Por um Destino Insólito (Travolti da un insolito destino nell’azzurro mare d’agosto, Lina Wertmüller)Swept Away (1974)A vulgaridade é uma invenção da classe média. Uma das maiores obras do cinema italiano dos anos 70, rendeu aquele remake vazio (desculpa aí genes gianninianos!) enquanto o original era uma pedrada na luta dos sexos e de classes sociais. Típico filme que entranha na sua mente e eventualmente te deprime por dias a fio. Giancarlo Giannini é o símbolo sexual por excelência, depois dele não existe mais nada.

3- O Poderoso Chefão 2/A Conversação (The Godfather: Part II/The Conversation, Francis Ford Coppola)The Conversation - toilet Não te dá tristeza pensar que o Coppola fez duas obras de arte desse calibre no mesmo ano e hoje leva anos para fazer um filme de merda?

4- A Dupla Explosiva (Altrimenti ci arrabbiamo, Marcello Fondato)Watch Out, We're Mad - buggyTudo se resume a duelo de salsicha com cerveja e um buggy. Esse sem sombra de dúvida foi o grande filme da minha infância e em nenhum outro filme da dupla Hill & Spencer tem mais cenas clássicas que este, eu devo tudo a esses caras. Tal lembrança coincide com o falecimento recente do diretor Fondato.

5- Problemas Femininos (Female Trouble, John Waters)Female Trouble - DIVINEQueers are just better. I’d be so proud if you was a fag. The world of the heterosexual is a sick and boring life. Não tem como explicar o fato de John Waters ser um dos maiores gênios do cinema dos anos 70 e nem o Glen Milsted ser um dos mais talentosos atores de sempre, só os vendo trabalhando juntos é possível constatar o poder de ambos.

6- Martha (Rainer Werner Fassbinder)MARTHA Por que Karlheinz Böhm é um dos maiores atores do cinema? A resposta está aqui.

7- A Rainha Diaba (Antonio Carlos da Fontoura)Rainha Diaba - MILTON GONÇALVESQue me perdoem Lázaro Ramos e Karim Ainouz pelo seu retrato de Madame Satã, mas Milton Gonçalves e Fontoura aposentaram a personagem alí, não tem para ninguém. E tem Odete Lara mais diva do que nunca como cantora de boate e de cabelo verde.

8- Escalada do Poder (Le Mouton Enragé, Michel Deville)Le Mouton enragé (1974)Pérola quase esquecida do cínico cinema francês dos 70, é engraçado, é ácido, é trágico e tem um elenco de dar arrepios, seja pelo talento, seja pela irresistibilidade: Jean-Pierre Cassel, Jane Birkin, Jean-Louis Trintignant, Romy Schneider e Florinda Bolkan, esta com o que talvez seja o papel mais sensacional de sua carreira.

9- Truck Turner (Jonathan Kaplan)Truck Turner (1974)Ninguém mata o gato do Truck Turner e sairá impune. Dá para acreditar o quão foda Isaac Hayes era? É quase inadimissível o fato dele ter feito tão poucos filmes nos anos 70, aqui ainda há o deleite de vê-lo dividindo cena com Scatman Crothers, Dick Miller, Nichelle Nichols e Yaphet Kotto, com este último co-protagonizando a sensacional sequência no hospital anos antes de John Woo se apropriar do momento.

10- Perfume de Mulher (Profumo di donna, Dino Risi)Profumo di donna - VITTORIO GASSMANOutra grande obra dos italianos que terminou por virar um remake cocô nas mãos de quem não tinha mais o que fazer. Já falei que o Gassman é foda? Pois ele é.

11- O Último Golpe (Thunderbolt and Lightfoot, Michael Cimino)Thunderbolt and Lightfoot - JEFF BRIDGES & CLINT EASTWOOD É o Jeff e o Clint fazendo duplinha. E é claro que é um filme gay, é um remake de um filme do Douglas Sirk, por deus! Só mesmo machão recaucado para não ver todos os indícios.

12- 007 contra o Homem da Pistola de Ouro (The Man with the Golden Gun, Guy Hamilton)The Man with the Golden Gun - CHRISTOPHER LEEÉ um dos piores filmes de Bond, mas e daí? Christopher Lee tem uma pistola de ouro, mora na ilha da fantasia com o Tatoo e recebe visitas eventuais de Britt Ekland e Roger Moore. O que mais alguém poderia querer na vida?

13- Cockfighter (Monte Hellman)Cockfighter (Monte Hellman, 1974 ) WARREN OATESVisão de um ambiente que normalmente me deixaria desconfortável, rinha de galos, mas Hellman extrai tanto daquele universo masculino e simplório que seria ignorância minha não conseguir enxergá-lo. Além de tudo é uma mulher que acaba por colocar ordem no galinheiro como de hábito, o feminino sempre acabar por dar equilíbrio ou desequilíbrio às coisas. E Warren Oates silencioso nunca é demais.

14- Céline et Julie vont en bateau (Jacques Rivette)Céline et Julie vont en bateau (1974) RivetteRivette realmente gostava de gatos e do universo feminino, fazendo disso motivo suficiente para que eu o admire, some a isso improvisação, mistério e diversão e dá-se aqui um dos seus melhores filmes. Barbet Schroeder era realmente um cara interessante, aqui como ator no mesmo ano que nos deu aquele documentário indispensável sobre o gereral maluquete Idi Amin.

Real Melhor Filme do Ano: Tragam-me a Cabeça de Alfredo Garcia (Bring Me the Head of Alfredo Garcia, Sam Peckinpah)Sam Peckinpah - Bring Me the Head of Alfredo GarciaAno foi repleto de obras primas, Chinatown (Roman Polanski), F for Fake (Orson Welles), O Fantasma da Liberdade (Luis Buñuel), Cani Arrabbiati (Mario Bava), Foxy Brown (Jack Hill) e outros já supracitados. Sempre que houver uma dúvida nas escolhas é só colocar o Peckinpah no meio que ele acaba com a brincadeira.

4 thoughts on “Os Filmes Bacanas de Cada Ano que o Cinema Viveu: 1974

  1. Você já viu o Benjamin Button? Me lembrou um pouco o Youth Without Youth do Coppola (e o Fonte da Vida do Aronosfky, mas esse você gosta), amores eternos e fotografia dourada.

    Como é o original do Perfume de Mulher? Por essa foto aí não consigo nem imaginar, ainda mais tendo visto a refilmagem.

    E SAM É REI. Todo mundo fala que ele era o único no set de Alfredo Garcia que não tinha reparado que o Warren Oates tava interpretando ele, mas eu acho que ele só deixou quieto.

  2. vai ver a criatividade do coppola esgotou ali, no apocalipse. outra coisa boa que ele fez foi a sofia, que tenho a leve impressão que vc não deva gostar. o filme do peckinpah foi uma boa escolha.

  3. Lucas, Vi o senhor Botão, mas na verdade ele me lembrou de início o Peixe Grande do Burton para logo depois cair no convencionalismo do Forrest Gump, com a diferença que ao menos o Forrest Gump nos faz rir. Aliás, é verdadeiramente irritante a semelhança com Forrest Gump, isso porque só depois dessa constatação que vim assimilar que ambos os filmes dividiam o mesmo roteirista. Olha, é muito difícil um filme me irritar, posso não estar gostando e levar o filme na boa até o final, mas me irritar é definitivamente raro, o tal do Sr Botão conseguiu este feito e profundamente. Cruzes. Pior filme da carreira do Fincher, sem dúvida.
    E desencana dessa foto do Profumo di donna, isso é um pesadelo dentro do filme e pouco tem a ver com o tôdo. Para ficar mais claro a linha seguida, é bom comparar com o remake, enquanto o original é uma tragicomédia, com ênfase na comédia e realista na parte trágica (digamos que se passe 2/3 do filme gargalhando com gosto), o remake é um melodrama nhenhenhe cheio das papagaiadas. Diz-se até que à boca miúda que o Gregory House foi inspirado no Gassman desse filme, um cara insuportavelmente escroto e engraçado com problemas físicos que bem sabe ser um gentleman quando o quer.

    Luisandro, ué, eu tenho cara de quem não gosta da Sofia? KKKKKKK Olha, a Sofia é um problema porque não sei qualé o do culto por ela, gosto bastante de As Virgens Suicidas, especialmente porque ela se inspirou e muito no Picnic at Hanging Rock, gostei bastante da modernização de filme de época que ela fez em Antoniette, mas o que dizem ser o melhor filme dela, o tal Encontros & Desencontros, é um filme totalmente estéril aos meus olhos.
    A verdade que deixei de idolatrar a família Coppola há uns bons anos (isso incluem papai, filha, filho, Talia Shire e Nicolas Cage), à excessão do meu amado Jason Schwartzman, que bem é um dos melhores atores abaixo dos 30 anos da atualidade e que nem sequer é conhecido por fazer parte da família Coppola (filho da Talia Shire), só mesmo pelo talento. Aliás, bem que eu queria vê-lo interpretando o Keith Moon no cinema, ele seria absolutamente perfeito.
    Quando ao Francis, nem concordo que ele acabou em Apocalypse, O Selvagem da Motocicleta e O Fundo do Coração são pequenas obras de arte, enquanto todos os outros até Drácula foram razoavelmente bons, depois disso acabou-se.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: