Filmes bacanas de cada ano que o cinema viveu: 1965

1- Faster, Pussycat! Kill! Kill!/Mudhoney/Motor Psycho (Russ Meyer)Motor Psycho (1965)Ôpa ôpa ôpa! Russ Meyer em dose tripla naquele ano.

2- Monitor: The Debussy Film (Ken Russell)Debussy FilmDebussy, Ollie, Russell e um maluquete adorador de Wagner que gosta de atirar em gatos. Basta.

3- Ipcress – Arquivo Confidencial (The Ipcress File, Sidney Furie)The Ipcress File (1965)A pergunta é: como o Sidney Furie conseguiu fazer essa pequena obra prima da espionagem e depois se tornaria um cineasta de merda nos anos subsequentes?

4- Darling – A que Amou Demais (John Schlesinger)Darling - Julie Christie & Dirk BogardeDirk Bogarde não leva puta em taxi. Simples assim. Não sei qual é do preconceito, mas essa sentença me marcou. Mas coloquemos os pingos nos is, este é um filme importantíssimo da british new wave, em 1965 o homossexualismo ainda era considerado crime na Inglaterra, então John Schlesinger e seus asceclas fazem o quê? Pegam a historinha de um rapaz conhecido no bas-fond londrino, dão uma lapidada, transformam-no numa mulher com pele de Julie Christie, juntam mais um punhado de atores do babado (Dirk Bogarde, Roland Curram, Laurence Harvey) e finalmente se dá um dos melhores trabalhos de Schlesinger, que sempre se preocupou em retirar o gay do armário cinematográfico e passaria a próxima década quebrando barreira atrás de barreira neste quesito. Antes um esclarecimento: Laurence Harvey não era propriamente homo ou bissexual, só quando lhe convinha.

5- The Dot and the Line: A Romance in Lower Mathematics (Chuck Jones/Maurice Noble)Chuck Jones versão experimental.

Real Melhor Filme do Ano: Não sei e não quero saber, estou de saco cheio dessas listas e ainda tenho 70 anos delas pela frente. Portanto a partir de agora os filmes voltarão a ser restritos a top 5, embora tenha a leve impressão de que quando chegar os anos 30/40 voltarei a ficar empolgada em demasia.Falstaff - Campanadas a medianoche (1965) ORSON WELLES[blá: Bunny Lake Is Missing (Preminger), Chimes at Midnight (Welles), For A Few Dollars More (Leone), The Hill (Lumet), Pierrot le fou (Godard), Repulsion (Polanski), Red Beard (Kurosawa), São Paulo – S/A (Person)]

Advertisements

9 thoughts on “Filmes bacanas de cada ano que o cinema viveu: 1965

  1. Você já viu The Saragossa Manuscript? É desse ano, dirigido por um polonês, acho que vai gostar.

    • Eu tenho Saragossa gravado, mas ainda não vi, dá até desespero ver a pilha de filmes que tenho aqui e ainda não pude conferir. É tanta coisa para ler, ver e ouvir que dá vontade de sair correndo para o mato e não voltar nunca mais.

  2. Entre tantos filmes fodas (fora os que não vi da lista), uma ótima lembrança de um que poucos citariam: The Hill, do Lumet, que quem viu não esquece tão cedo.

  3. Conheço bem esse negócio de pilhas de filme para ver. Até dei um tempo de gravar coisas antigas pois não está dando certo.

    Meu favorito da dupla Lumet/Connery é ATÉ OS DEUSES ERRAM.

  4. Que ano!: melhor de Godard e melhor de Orson Welles.

    Senti falta de Alphaville também :B

    Viu A Vingança do Pistoleiro, de Hellman?

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: