Top-dúzia: Ernst Lubitsch

Pois não tinha mais o que fazer e quando não se tem mais o que fazer acabamos por pensar na única coisa que importa. Tem gente que reza, tem gente que sonha, eu particularmente penso no Lubitsch e hoje é aniversário dele. A man of pure cinema. – Alfred Hitchcock Lubitsch was a prince. –Continuar lendo “Top-dúzia: Ernst Lubitsch”

Top-dúzia: Ernst Lubitsch (parte 2!)

Impressionante, para conseguir chegar nos filmes “mais-ou-menos” dele, só depois do Top 30. Então, que fique o top-resto: 25- Em Paris É Assim (So This Is Paris, 1926) 26- Czarina (A Royal Scandal, Ernst Lubitsch/Otto Preminger, 1945) 27- A Filha do Cervejeiro (Kohlhiesels Töchter, 1920) 28- Romeu e Julieta na Neve (Romeo und Julia imContinuar lendo “Top-dúzia: Ernst Lubitsch (parte 2!)”

Pequena observação sobre Sherlock Holmes

Algo que esqueci de mencionar: Sério que a dublagem da voz do Professor Moriarty não foi feita pelo Brad Pitt? Assim que escutei aquela voz entendi perfeitamente porque no meio do ano passado surgiu um boato sobre o Pitt ser o Moriarty, pqp, aquela é a voz dele com sotaque britânico. Vai ver foi porContinuar lendo “Pequena observação sobre Sherlock Holmes”

Zelda Rubinstein (1933 – 2010)

As senhorinhas creepy estão nos deixando na orfandade nos últimos tempos. E nada de piadinhas infames sobre ir para a luz, hein! Nota: História da foto acima (ao menos acho que é sobre essa foto que a história se refere) During the filming of Poltergeist III (1988), she was doing a photo shoot when sheContinuar lendo “Zelda Rubinstein (1933 – 2010)”

Viva o Australia Day!

Lá no Stale Popcorn rolou uma ótima seleção de filmes que definiram a cultura australiana na última década. Ficaram de fora Rogue do Greg Mclean e como alguém já mencionou nos comentários: John Hillcoat! Nota: Outros musos não entraram nesse top-dúzia-sem-numeração como Mel Gibson, Sam Worthington e Guy Pearce, porque eles cresceram na Austrália, masContinuar lendo “Viva o Australia Day!”

Mad Men

Terminei agora de ver a terceira temporada de Mad Men, todas as outras temporadas foram geniais assim ou só agora me bateu a visualização da genialidade do seriado? O fato é que segundo as temporadas anteriores o considerava uma das melhores séries que pude acompanhar desde sempre, mas nesso terceiro ano a série adquiriu aContinuar lendo “Mad Men”

Cem anos de Jean Baptiste "Django" Reinhardt

Este tem que ser comemorado mesmo. É favorito dos favoritos. Djangology (1936 – 1948) CD 01 – Georgia on my mind – 1936-1937 CD 02 – Sweet Georgia Brown – 1937 CD 03 – Minor Swing – 1937 CD 04 – Tea for Two – 1937-1938 CD 05 – Body and Soul – 1938-1940 CDContinuar lendo “Cem anos de Jean Baptiste "Django" Reinhardt”

Picasso e os gatos

Este é o tempo da experimentação e da viragem. É o começo da grande aventura. Fernande Olivier, sua paixão dessa época, escreveu que Pablo tinha em casa dois gatos, um cão e um macaco. Olha-se para a fotografia e percebe-se que estes animais de companhia sabiam mais sobre a sua luta com as cores eContinuar lendo “Picasso e os gatos”

Schnitzler – Freud

Verehrter Doktor: Agora o senhor também alcançou os sessenta anos, enquanto eu, seis anos mais velho, me aproximo do fim da vida e posso esperar em breve ver o fecho do quinto ato dessa algo incompreenssível e nem sempre divertida comédia. Se eu ainda tivesse preservado crença na “onipotência” dos pensamentos, não deveria deixar passarContinuar lendo “Schnitzler – Freud”

Golden Globes

É a primeira vez que assisto a cerimônia do Globo de Ouro. Primeiro porque nunca tive tv por assinatura (e ainda não tenho!), segundo porque nunca me interessou. Mas hoje queria ver se o JB ganharia e – cara! – aquilo foi lindo. Todo mundo se levantou para aplaudí-lo de pé, todo mundo sinceramente extasiadoContinuar lendo “Golden Globes”

Elizabeth Moody (1939 – 2010)

Morreu no início desta semana a interprete de uma das melhores mães do cinema, a incomparável Vera Cosgrove de Fome Animal (Braindead / Dead Alive, Peter Jackson, 1992). Só para provar a excelência da velhota, o título do filme em espanhol é Tu Madre se ha Comido a mi Perro. Para alguém que está noContinuar lendo “Elizabeth Moody (1939 – 2010)”

King of the Mardi Gras (1935)

Jack Mercer fez pelo Popeye o que Mae Questel fizera por Betty Boop e até mesmo por Olívia Palito. Hoje é o centenário do dublador e roteirista que deu alma ao marinheiro comedor de espinafre dos anos 30 aos anos 70. Nota: Por que espinafre? Por que não brócolis? Convenhamos, dá para se alimentar fácilContinuar lendo “King of the Mardi Gras (1935)”