Viva o Australia Day!

George Lazenby
Simon Baker
Bryan Brown
Julian McMahon
Rod Taylor
John Jarratt
Jesse Spencer
Eric Bana
David Wenham
Hugh Jackman
Errol Flynn
Heath Ledger
Chris Hemsworth

Lá no Stale Popcorn rolou uma ótima seleção de filmes que definiram a cultura australiana na última década. Ficaram de fora Rogue do Greg Mclean e como alguém já mencionou nos comentários: John Hillcoat!

Nota: Outros musos não entraram nesse top-dúzia-sem-numeração como Mel Gibson, Sam Worthington e Guy Pearce, porque eles cresceram na Austrália, mas nasceram em países distintos, tipo Nicole Kidman, mas eles são tão australianos quanto a Carmen Miranda é brasileira. Então, menção honrosa pra eles.

Publicado por Adriana Scarpin

Bibliófila, ailurófila, cinéfila e anarcafeminista. Really. Podem me encontrar também aqui: https://linktr.ee/adrianascarpin

5 comentários em “Viva o Australia Day!

    1. Bana é fueda – muito, tão foda que ele foi a única coisa que prestou em Tróia. Mas infelzimente meu favorito contemporâneo ainda é o Sr Jackman, mesmo que ele tenha caído consideravelmente na minha estima com aquela palhaçada do Corinthians ano passado. Mas será o benedito que não havia um assessor que pudesse lhe dizer que ele ficaria de boa com os corintianos, mas que possivelmente os palmeirenses e são-paulinos ficariam com nojinho? Ora pois, palmeirenses e são-paulinos também pagam ingresso.

      Curtir

    1. Ultrapassaria se o futebol fosse como antigamente – quando os jogadores honravam a camisa que vestiam – tempos de Zico, tempos de Pelé, tempos de Adhemir da Guia, tempos de Rivelino. Hoje o jogador não honra mais camisa e sim o dinheiro que ganha e sinceramente não posso encarar isso como algo bom, é coisa da minha índole, não dá. Esse tipo de desrespeito para com a camisa acabou refletindo na própria torcida, quando as pessoas podiam ir torcer para times adversários e se zoarem juntos há uns 30 anos atrás – hoje o senso de humor acabou, você tem que ter medo de sair para a rua com uma camiseta do seu time em dias de jogo com o perigo de levar um tiro na cara, ou como aquele caso horrendo daquela enfermeira na confusão de Curitiba que nada tinha a ver com a coisa e acabou perdendo seu instrumento de trabalho: a mão. Pior, isso está progredindo para que certos torcedores agridam jogadores do próprio time em que torcem como aconteceu com o Vágner Love no fim do ano passado – isso não me envergonha só como uma derrocada da manisfetação de alegria que deveria ser o futebol, mas me envergonha como ser humano por pertencer a essa mesma espécie que não consegue aprender com a história básica, além de só conseguir ver dinheiro e ódio num esporte que deveria ensinar princípios básicos de amizade e bom de humor. Tal como o cinema, futebol hoje é uma manisfestação cultural completamente falida em sua essência.

      Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: