An Airman's Letter to His Mother (1941)

Conheço o trabalho do Powell há muito tempo e alguns de seus filmes sempre estiveram entre os favoritos, mas sabe aquela pessoa que você conhece há tempos e um dia do nada, sem razão aparente, você olha e pensa: “meu deus, quem é esse?”, com o cinema dele aconteceu a mesma coisa. É um cinema que sempre esteve alí e sempre apreciei, mas que só agora consegui enxergar de verdade – nada como conseguir ver as coisas com outros olhos.
Vendo pela primeira vez ou revendo alguns filmes nas últimas semanas, meu amor pelo cinema que estava realmente diminuto deu aquela renascida. Céus, que cineasta glorioso ele era. Mas antes que alguém ache que estou sendo injusta com o Pressburger, a dinâmica dos filmes entre os dois era meio excêntrica, raramente eles trabalhavam juntos, cada um fazia suas coisas separadas e na pré-produção eles se encontravam umas 3 vezes para dar uma lapidada, Pressburger escrevia o roteiro, Powell ficava no set de filmagens e Pressburger depois ficava cuidando da pós-produção enquanto o Powell colova uma kilt e ia para as Highlands dar uma caminhada. Digamos que eles foram a dupla mais separada do cinema e vai ver por isso deram tão certo, inclusive reza a lenda que suas personalidades eram exatamente diametrais.

Publicado por Adriana Scarpin

Bibliófila, ailurófila, cinéfila e anarcafeminista. Really. Podem me encontrar também aqui: https://linktr.ee/adrianascarpin

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: