Oh… Rosalinda!! (1955)

Este filme traz imediantamente duas palavras gravadas por todo canto: KEN RUSSELL. Se este não é o pai dos musicais de Russell durante os anos 70, então é coisa do espírito santo. O que esperar de um homem que foi fazer balé só porque viu Sapatinhos Vermelhos? Não é claro que depois de ver uma adaptação quase lisérgica de uma operetta de Johan Strauss e com profundo conteúdo político, Russell não se sentisse compelido a praticar exatamente este tipo de cinema, envolvendo compositores da música clássica?
Outro cineasta profundamente influenciado foi Baz Luhrmann, como se já não tivesse sido o suficiente e clara a tremenda influência que Sapatinhos Vermelhos teve sob Moulin Rouge, em Rosalinda fica mais do que óbvia a importância que o cinema de P & P teve para toda a concepção daquele filme, como bem para toda carreira de Luhrmann, tanto como cineasta quanto nas suas montagens de ópera que pude conferir. A inspiração de Anton Walbrook para a personagem de Richard Roxburgh na qual a alusão a Sapatinhos Vermelhos é gritante e reitera-se de certa forma em Rosalinda, além de quase-cópias de peças de figurino, alusão a certas apresentações de dança, clima alucinógeno e referências significativas por parte da direção de arte e cenários.
Não recomendável assistir Rosalinda sob o efeito de drogas, pode ocasionar bad trips irreparáveis. Onde está o Scorsese que ainda não colocou esse filme para restaurar? Tio, pára de fazer filme e se atenha em reviver P & P.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: