2014: Ano de ler mulheres # The Year of Reading Women: Centenário de Marguerite Duras

Marguerite Duras and cat

Hoje é centenário de uma das minhas musas, Marguerite Duras, que na literatura ficou entre os existencialistas e a galera do Nouveau roman sem de fato pertencer a nenhuma das duas categorias, sendo uma entidade única e inalcançável de enorme talento não só para literatura, mas também como cineasta… Depois de ser roteirista de obras primas como Hiroshima, Mon Amour de Alain Resnais e Mademoiselle de Tony Richardson, ela também notou que ninguém conseguia passar decentemente suas obras para a película como foram os casos de Peter Brook e do próprio Tony Richardson, então nada mais certo do que a própria Duras transformormar-se em cineasta. Herdeira direta de Resnais, Duras filmou alguns dos mais literários filmes que vi, seja seus curtas experimentais com uma prosa poética avassaladora, seja seus longas com situações de mulheres problemáticas à sua própria existência. Enfim, recomendo com veêmencia a literatura e cinema de Marguerite Duras.

Top 5, então:

1- As Mãos Negativas (Les Mains négatives, 1978)

2- Cesárea (Cesarée, 1978)

3- India Song (1975)

4- Agatha e as Leituras Ilimitadas (Agatha et Les Lectures illimitées, 1981)

5- Nathalie Granger (1972)

Publicado por Adriana Scarpin

Bibliófila, ailurófila, cinéfila e anarcafeminista. Really. Podem me encontrar também aqui: https://linktr.ee/adrianascarpin

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: