Filmes favoritos vistos/revistos em 2021

Dos 975 filmes que assisti em 2021 fiz minha lista de 100 filmes mais queridos dentre os que vi/revi, os 30 primeiros gosto mais (nota 10), o restante gosto de forma parecida (entre 9 e 9,5). Para Minha Irmã (À ma soeur!, Catherine Breillat, 2001) Um Corpo que Cai (Vertigo, Alfred Hitchcock, 1958) Tramas doContinuar lendo “Filmes favoritos vistos/revistos em 2021”

Favoritos vistos/revistos em 2020

Dos 1050 filmes que assisti em 2020 fiz minha lista de filmes mais queridos dentro os que vi/revi, os vinte primeiros eu gosto mais (dei nota 10), os 80 restantes gosto de forma parecida (entre 9 e 9,5). 1- Guerra e Paz (Война и мир, Sergey Bondarchuk, 1966) 2- O Raio Verde (Le rayon vert,Continuar lendo “Favoritos vistos/revistos em 2020”

Centenário de Robert Aldrich

Aldrich foi desses diretores altamente qualificados que se deu bem em diversos gêneros, portanto vai aqui um top-dúzia: Para o ranking dos demais filmes do Aldrich acompanhados de suas respectivas resenhas, eis minha lista no letterboxd.

Centenário de Ingmar Bergman

Esse mês todo estou repassando a filmografia do magnificente diretor, o que fatalmente alterará meu top-dúzia dele, mas hoje, na ocasião de seu centésimo aniversário, o top é o seguinte: Para acompanhar meu andamento de revisão de filmografia sugiro minha lista no letterboxd

Centenário de William Holden

Bom, desnecessário apresentações, uma vez que o Holden abria o seu sorrisão ou dava uma tiradinha irônica, não havia escapatória para o seu charme infinito. Nunca um top me foi tão sofrido, entre outros profissionais de cinema sempre me foi fácil escolher entre um e outro filme, aqui eu realmente não sabia o que ficavaContinuar lendo “Centenário de William Holden”

Centenário de Yuzo Kawashima

Kawashima é a transição entre os grandes mestres surgidos no cinema mudo e a nouvelle vague japonesa, morreu muito cedo aos 45 anos sem não antes deixar algumas grandes obras, além de tudo é considerado por Shohei Imamura como seu grande professor. Top-5, então: 1- The Graceful Brute (Shitoyakana kedamono, 1962): Esse filme é paraContinuar lendo “Centenário de Yuzo Kawashima”

Centenário de Ida Lupino

Não só uma diretora magnífica, às vezes esquecemos que ela também era uma grande atriz, qualidade que fica ainda mais evidente nos filmes noir que protagonizou. Se eu tivesse escolhido um filme de cada diretor daria para entrar Don Siegel e Robert Aldrich nesse top, mas infelizmente não poderia deixar de fora os Walshs eContinuar lendo “Centenário de Ida Lupino”

Centenário de Michiyo Kogure

Musa de Kenji Mizoguchi por cinco filmes na última fase do diretor e de quebra ainda trabalhou com Ozu, Kurosawa e Naruse, Kogure pode não ser uma lenda no ocidente, mas também não pode passar desapercebida. Ser com Ozu e Kurosawa mostrou toda sua acidez, enquanto Naruse a mostrou como uma espécie de Capitu japonesa,Continuar lendo “Centenário de Michiyo Kogure”

Dorothy Malone (1925 – 2018)

Top-dúzia em honra dessa imponente e exuberante atriz:

Centenário de Ossie Davis

Além de grande ator, Davis foi um notório defensor dos direitos civis dos negros, sempre ao lado de Martin Luther King e Malcolm X (para este lançou mão de um panegírico em seus funeral que se tornou muito famoso, sendo inclusive usado por Spike Lee ao final de sua biografia sobre o mesmo), além deContinuar lendo “Centenário de Ossie Davis”

James Best (1926 – 2015)

Top 5: 1- Paixões que Alucinam (Shock Corridor, Samule Fuller, 1963) 2- Winchester 73 (Anthony Mann, 1950) 3- A Morte tem seu Preço (The Naked and the Dead, Raoul Walsh, 1958) 4- A Outra Face da Violência (Rolling Thunder, John Flynn, 1977) 5 – Proibido! (Verboten! Samuel Fuller, 1959) Nota: Deixei Forbidden Planet (Planeta Proibido)Continuar lendo “James Best (1926 – 2015)”

Louis Jourdan (1921 – 2015)

Top 5, então: 1- Carta de uma Desconhecida (Letter from an Unknown Woman, Max Ophuls, 1948) 2- Gigi (Vincente Minnelli, 1958) 3- A Sedutora Madame Bovary (Vincente Minnelli, 1949) 4- Agonia de Amor (The Paradine Case, Alfred Hitchcock, 1947) 5- Can Can (Walter Lang, 1960)

Lizabeth Scott (1922 – 2015)

Top 5, então: 1- Tormento de uma Glória (Easy Living, Jacques Tourneur, 1949) 2- O Tempo não Apaga (The Strange Love of Martha Ivers, Lewis Milestone, 1946) 3- A Estrada dos Homens sem Lei (The Racket, John Cromwell/Mel Ferrer/Tay Garnett/Nicholas Ray/Sherman Todd, 1951) 4- Pulp (Mike Hodges, 1972) 5- O Caminho da Tentação (Pitfall. AndréContinuar lendo “Lizabeth Scott (1922 – 2015)”

Centenário de Eddie Bracken

Top 5, então: 1- Papai por Acaso (The Miracle of Morgan’s Creek, Preston Sturges, 1944) 2- Herói de Mentira (Hail the Conquering Hero, Preston Sturges, 1944) 3- Casa, Comida e Carinho (Summer Stock, Charles Walters, 1950) 4- Férias Frustradas (Vacation, Harold Ramis, 1983) 5- Esqueceram de Mim 2: Perdido em Nova York (Home Alone 2:Continuar lendo “Centenário de Eddie Bracken”

Odete Lara (1929 – 2015)

Top-dúzia, então: 1- Noite Vazia (Walter Hugo Khoury, 1964) 2- A Rainha Diaba (Antonio Carlos da Fontoura, 1974) 3- O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro (Glauber Rocha, 1969) 4- Boca de Ouro (Nelson Pereira dos Santos, 1963) 5- Moral em Concordata (Fernando de Barros, 1959) 6- Na Garganta do Diabo (Walter Hugo Khoury,Continuar lendo “Odete Lara (1929 – 2015)”